O COMUNISMO E AS CRIANCINHAS


LÊNIN E AS CRIANCINHAS


Eis aqui um exemplo que o Pe. Alagiagian dá por experiência própria, sobre a maneira pela qual as crianças eram doutrinadas na Ex-União Soviética. Um dia uma mulher veio vê-lo e disse-lhe:

“Ontem, meu filho de oito anos, Carlitos, chegou-lhe em casa sem fôlego, de fadiga e excitamento. Contou-me que, quando a escola acabou, as crianças foram levadas a um passeio que durou mais de duas horas. Então foram conduzidas ao parque público e tomaram parte em exercícios físicos por mais de meia hora. Ao fim daquele tempo, foi-lhes perguntado: “Crianças, vocês estão com fome?”, e elas naturalmente disseram que estavam famintas. Então aqueles diabólicos bolcheviques mandaram que pedissem a Deus para dar-lhes o pão de cada dia. Este pedido foi repetido várias três vezes; em seguida perguntaram às crianças se Deus havia dado algum pão. Foi então dito aos confusos jovens que podiam ver, por si mesmos, que não havia Deus, pois suas orações não tinham resposta. O mesmo pedido foi então feito em nome de Lênin, e imediatamente apareceu um caminhão cheio de frutas, pão e queijo, que foi dividido entre as crianças famintas. Foi-lhes dito depois: “Vocês viram agora que não é Deus quem dá pão, mas Lênin”. (BOURDEAUX, Michael. A religião cristã na URSS. Petrópolis: Vozes, 1967, p.57)

“Disse Lênin que não o preocupava saber quantos adultos anticomunistas havia na Rússia, de idade superior a cinqüenta anos, porquanto o que lhe interessava eram as crianças. Conseguindo apossar-se delas desde a infância, acrescentava, poderia edificar o Estado Comunista.” (SHEEN, Fulton. Os problemas da vida. Porto: Livraria Figueirinhas, 1956, p.119)


Fé, História, Filosofia e Literatura

About this blog

Follow by Email

Seguidores

Archivo del blog