PADRES DA IGREJA CONTRA O COMUNISMO


Sem posse de bens não se pode cumprir o que se estabelece em Mt 25,34. “Se estes bens não puderam ser possuídos, como poderia, com efeito, ser cumprido aquilo do Evangelho: “Então o Rei dirá aos que estão à direita: - Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim.” (Mt 25,34). Todas essas coisas que manda o Senhor, de que modo se poderiam realizar a não ser do procedente do trabalho lícito e das riquezas privadas adquiridas justamente?” (S.Epifânio, Contra os hereges 2, 1, 61, 1y 3 apud RESTITUTO SIERRA BRAVO, Diccionario social de los Padres de la Iglesia, Edibesa, 1997, p. 105)

“Porque a justiça não se encontra nas coisas exteriores, nem sequer no corpo, senão no coração do homem. Por isso, aquele que busca a igualdade humana não deve suprimir o matrimônio e as posses, mas a arrogância, a soberba, o orgulho, a fim de que os nobres e poderosos reconheçam sua igualdade com os indigentes. Pois extirpada a insolência e iniqüidade dos ricos, nada importa se uns homens são ricos e outros pobres, contanto que em espírito todos se sintam iguais, coisa que somente a religião de Deus pode realizar.” (Lactâncio, Instituições divinas 22 apud RESTITUTO SIERRA BRAVO, Diccionario social de los Padres de la Iglesia, Edibesa, 1997, p. 105)


Fé, História, Filosofia e Literatura

About this blog

Follow by Email

Seguidores

Archivo del blog