HOMENAGEM A UM AMIGO



AMIGO É COISA TRANSCENDENTE
(Homenagem ao meu amigo Roldão que foi-se embora para terras portuguesas)

Amigo é coisa transcendente,
já que a amizade se apóia num fundamento invisível.

É grande acontecimento, onde cada momento vivido é fragmento,
é fatia, é parte.

Mas também, a parte é todo,
é unidade sob a perspectiva da eternidade.

O amigo é ‘como um outro de si mesmo’ dizia Aristóteles.
Amigo também é pedaço da gente, pedaço do coração, do miocárdio.

O miocárdio tem como função básica ejetar o sangue que
se encontra no interior do coração.

O amigo também tem essa função, ele faz espelir do coração
nobres sentimentos sanguíneos do abismo cardíaco.

Quando um amigo se vai para terras longínquas,
no ultramar, para uma vida com novo olhar,
fica a saudade.

***

“Tudo o que o homem virtuoso sente por si mesmo,
sente-o também em relação ao amigo” (Aristóteles, Ética a Nicomaco).


Fé, História, Filosofia e Literatura

About this blog

Follow by Email

Seguidores

Archivo del blog